quarta-feira, 25 de março de 2020

Noites perdidas


Há noites claras de silencio,
Viagens sem destino neste universo
E olhares vazios sem amor,
Há pensamentos sem sonhos
Aragens frias onde me disperso
Querendo viver e amar sem dor.

Há noites e noites perdidas,
Mãos cheias de puros cristais,
Bebedeiras de sonhos vividos.
Há coisas que não sei escrever,
Tanta solidão que não quero viver
Caminhos sem rumo esquecidos.

Há noites de sol e canções
Momentos de pura realidade,
Corridas de felicidade sem tempo
Olhares dispersos no vento.
Há dias e noites amados, vividos
Há flores que acordam os sentidos.

Leiria, 21/Março/2020
Zitocoelho

3 comentários:

  1. Bom dia

    Os sonhos, as lindas madrugadas, os dias, as árvores em flor, são pequenas grandes porções de puro bálsamo nas nossas vidas nestes momentos tão difíceis que todo o mundo está a passar com o maldito coronavírus

    Que poema magistral. Lindo demais

    Tenha um dia feliz

    ResponderEliminar
  2. Há noites do tempo passado
    Que marcam os tempos de agora.
    A Alma que nos traz aurora
    Dá luz ao destino "marcado".


    O meu abraço
    SOL

    ResponderEliminar