terça-feira, 5 de abril de 2016

A dor que trago no peito





(foto minha)

A dor que trago no peito
Acorda-me de madrugada
E quer eu queira ou não queira
Deixa-me muito amargurado
São recordações, são lembranças
Coisas de que não sou culpado
Vidas próprias do meu fado.

E quando o dia anoitece
Maior se tece a minha dor
Mais forte que tudo mais.
Tem aquele amargo sabor
Que se solta em leves ais.
Que mais queres tu de mim
Porque me segues assim?

Depois no silêncio de noite
Mais tu me fazes sofrer.
Se vivo eu não te despeço,
Mas tu já não me deixas viver.
Se amar-nos não podemos
Porque pedes tão alto preço?
Morrer já, eu não mereço.
Luíscoelho
Abril-05/2016

36 comentários:

  1. Lindo teu poema,Luis! Gosto de teus versos! abração,chica

    ResponderEliminar
  2. Poema soberbo, mesmo!!
    A foto está proibida, ou não se vê.

    Beijo e um feliz dia.

    Coisas de Uma Vida 172

    ResponderEliminar

  3. Yayá Portugal00:17


    1
    Responder

    Um poema bonito e introspectivo. Um abraço, Yayá. 

    ResponderEliminar
  4. O que vai dentro da Alma
    É grande dor e amargura.
    Não deixes de, nesta altura,
    Saberes manter viva calma.


    Abraço
    SOL



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Relendo e segurando a réstia de Fé que te teve.


      Abraço
      SOL

      Eliminar
    2. Sentindo o teu sentimento,
      Partilho, de mim, o meu.
      Não há mais, esquecimento,
      Das vidas que se viveu.

      Abraço
      SOL

      Eliminar
  5. Um poema que é um lamento dolorido.
    A foto não se deixa ver.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  6. ~~~
    Se não passassem nuvens escuras,
    nem o sol era apreciado...
    Poema sentido de dor que acabará
    por valorizar a felicidade.

    ~~~ Beijinhos para si e MJ. ~~~
    ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~

    ResponderEliminar


  7. Virgilio Coelho Faria
    9/4 às 13:05

    Amigo Luis Coelho, como é que um poema de dor também pode ser lindo!!! Mas, Luís, tenta explorar outro azimute para colocares luz na tua noite. Um abraço amigo.

    ResponderEliminar

  8. Manuel Vieira
    9/4 às 15:42

    Bonito, Luís. Só que o tema é muito forte para a tua bonita idade. Então ... "Porque pedes tão alto preço?". Um abraço

    Gosto

    ResponderEliminar
  9. Sempre se pode fazer poesia, mesmo com a dor, amigo. E quando a noite cai ela parece maior e o nosso coração aperta de tão doido. Mas temos sempre a esperança que, se tivermos a bênção de mais um dia, a luz do sol nos aqueça e a dor amine. Um bom fim de semana, Luis. Um beijinho
    Emilia

    ResponderEliminar
  10. A dor é sempre de lamentar e não desejar, seja ela de que âmbito for.
    Mas, como sempre, um amigo fez um belo poema.
    Desejo-lhe um bom fim de semana.
    Abraço
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  11. Patrocina Dias Depois de reconhecida esta tristeza... venha agora outro já com emoções positivas, sorrisos e alegrias que a vida também tem. Isto de ser poeta não é para todos.Abraço amigo Luis.

    ResponderEliminar
  12. Existem comentários que me vão chegando através do facebook onde partilhei este poema. Dado que todas as opiniões são importantes para mim, e eu gosto de as guardar, copiei-as para este espaço onde elas poderão completar os meus pensamentos/atrevimentos.
    Obrigado a todos.
    Informo que não sou poeta, mas gostava.
    Não escrevo quando quero, mas quando as emoções me ditam rimas ou as emoções desenham pensamentos que entendo poder partilhar.
    Assim poderei expressar sentimentos meus ou de alguem relacionado (ou não) comigo.

    ResponderEliminar
  13. Amigo Luís.
    Sei por experiência própria que a dor tem só um ponto positivo, é inspiradora.
    Este poema é um desabafo que desejo sinceramente que seja passageiro.
    Um beijinho e um bom fim de semana


    ResponderEliminar
  14. Nostalgico, sentido e belo poema.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  15. Da dor se fazem ais, necessária purga para encarar um novo dia...
    Muito sentido!

    Abraço

    ResponderEliminar
  16. A mágoa do amor cura-se com o júbilo do amor... Bom poema.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  17. Meu amigo, hoje venho especialmente pois recebi um prémio que circula na net e venho partilhá-lo consigo. A importância não está no prémio em si, mas sim no que ele representa, a criatividade, imaginação, inspiração, bem como as horas e dedicação que cada um, dedica aos seus blogues deixando neles um pouco de si.
    Provavelmente já recebeu de outros amigos esta recomendação, mas fica também aqui o meu reconhecimento pelo mérito do seu blogue.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  18. Obrigado Maria.
    Felicito-a pelo carinho desta partilha e ainda por lhe ter sido atribuída esta distinção.

    ResponderEliminar
  19. Os amores que não vivemos nos consemem a vida, meu amigo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda ninguém alcançou a alma deste poema.

      Eliminar

  20. Amigo Luís

    Pode ser que...
    como alguns pensam
    a dor tem só um ponto positivo, é inspiradora.

    Mas, há um período no ano que eu
    OBRIGO-ME A SER FELIZ
    a esquecer todas as dores
    a não pensar nos problemas
    ...
    a comemorar
    aquele momento que a minha Mãe
    sofreu por me dar à luz
    Nasci
    vivo porque Deus assim quer
    e...
    sinto-me na obrigação de estar
    eternamente grata
    por chegar a mais um aniversário.

    Daí que
    nos próximos dias
    não quero, não devo
    sequer
    ter pensamentos menos bons.

    No entanto compreendo o seu poema
    Belo
    com dores no peito
    que o deixam muito amargurado.

    Caso queira visitar
    http://pensamentosimagens.blogspot.pt/
    onde
    a 2 dias do meu aniversário
    decidi agarrar em imagens minhas,
    momentos que vivi recentemente para mostrar a mim mesma
    e aos outros, que é assim que eu gosto de VIVER ... intensamente!

    ADORO CLARICE LISPECTOR quando escreve:
    Renda-se, como eu me rendi.
    Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei.
    Não se preocupe em entender,
    viver ultrapassa qualquer entendimento!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  21. Um lindo,poema , embora triste, sofrido...
    Tenha um a linda semana.
    Élys.

    ResponderEliminar
  22. Já deixei um comentário no lindo conto da páscoa, agora neste eu precisava dizer que adivinhastes o meu estado de alma, obrigada poeta, apesar de minha ausência devido a muitos problemas da vida e a meu estado de alma você não se esqueceu de meu blog e lá esteve, isto se chama fraternidade, obrigada de coração, bjos Luconi

    ResponderEliminar
  23. Os poemas mais lindos vêm da dor, do sofrimento, da angústia. Por que será?
    Só posso crer que parte de grandes emoções.
    bjs, amigo!

    ResponderEliminar
  24. Meu amigo passei para desejar um excelente fim de semana.
    Um grande abraço
    Maria

    ResponderEliminar
  25. *Triste poema, amigo Luís Coelho !!!
    O que se passa ?! O.O
    *Luís, tenho cá uma indagação que não quer calar :
    - Por que você fez OUTRO blogue ?! Ou :
    - O que aconteceu com o Lida Coelho ?! O.O

    ResponderEliminar
  26. Amigo passei e deixo-lhe um abraço de amizade
    e votos de bom fim de semana.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  27. Na vida cabe-nos de tudo e o poeta soube interpretar sentimentos fortes muito comuns e humanos, e expressá-los muito bem no poema.

    Tudo do melhor, amigo Luís.

    ResponderEliminar
  28. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  29. Amei ler seu poema, mas o 25 de Abril para mim significa dor e sofrimento, é como estar a dormir muito quentinha e apanha com o balde de água gelada em cima, é assim que o vejo, mas nunca condenei nem condeno quem o festeja.
    Beijinhos de luz e paz.

    ResponderEliminar
  30. Lindo poema com tanta dor e sofrimento, mais me faz lembra aquele poema que diz o
    O poeta é um fingidor.
    Finge tão completamente
    Que chega a fingir que é dor
    A dor que deveras sente.

    Mas se não fosse assim não valia a pena escrever, para mim quanto mais penoso for mais eu gosto, assim revelamos os nossos sentimentos.
    Beijinhos de luz e paz no coração.

    ResponderEliminar
  31. Caro Luis,
    Como você pode ver, andamos meio desencontrado aqui pelos blogs, mas hoje pude encontrá-lo.
    Gostei muito de "A dor que trago no peito", seu belo poema. Parabéns.
    Um abraço.
    Pedro.

    ResponderEliminar