terça-feira, 6 de junho de 2017

Lágrima triste

Uma lágrima perdida
Teimava esconder-se
Do teu sorriso estudado.
Senti que era tempo
De a deixar correr,
De soltá-la sem ver,
A tua lenta partida.
E ainda mais magoado
Neste adeus a fazer-se
Por ter sido esquecida.

Uma lágrima triste,
Brilhando ao acaso,
Marejando nos olhos 
De amor e saudade,
Correu em silêncio
Sem dor nem maldade.
Foi um sonho desfeito, 
Despedida sem prazo
Que ao amor contrafeito 
Nem sempre resiste.
luíscoelho
2017/Junho

9 comentários:

  1. Poema bem ritmado, no balanço da tristeza.

    abraço

    ResponderEliminar
  2. Lindo poema,sensibilidade sempre! Bom te ver! Fazia tempo! abração,chica

    ResponderEliminar
  3. Um belo poema triste.
    Um abraço.
    Élys.

    ResponderEliminar
  4. Uma beleza este poema, Amigo Luís.
    Uma lágrima triste, mas muito bela.

    Desejo que esteja bem, assim como toda a família.
    Foi longa esta demora.

    Um abraço e votos de muita saúde.

    ResponderEliminar
  5. Sempre que a tristeza aperta, as lágrimas sacodem a Alma;
    ... o mais das vezes são secas, invisíveis, metidas num nó de garganta.
    Poema triste que consegue consolar sorrisos de vivências.


    Abraço
    SOL

    ResponderEliminar
  6. Uma lágrima triste de amor e saudade.
    Belissimo poema
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
  7. Lágrimas. Pedaços da nossa sede... Um belo poema.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  8. Deixo aqui um abraço com votos de uma excelente saúde.
    Li e gostei.

    ResponderEliminar